A Revista de Defesa da Concorrência (RDC) repudia a citação artificial de artigos ou de autores com o objetivo de se manipular o fator de impacto em mecanismos de indexação.

Quando os artigos contêm referências que não contribuem para o conteúdo acadêmico da pesquisa e foram incluídos apenas com o objetivo de se manipular artificialmente o fator de impacto, essa prática deturpa a importância do trabalho e do periódico em que foi publicado.

Portanto, a Equipe Editorial da Revista de Defesa da Concorrência (RDC) atuará para verificar e evitar a manipulação de citações, ato considerado como má-prática editorial pelo COPE – Committee on Publication Ethics.

Os autores, em seus artigos, somente deverão citar seus próprios trabalhos anteriores se efetivamente o artigo avaliado abordar temática relacionada e houver concreta contribuição ao debate ali analisado.

Os revisores externos, em seus pareceres, somente poderão recomendar seus próprios trabalhos se efetivamente o artigo avaliado abordar temática relacionada e houver concreta contribuição ao debate ali analisado.

No decorrer do processo editorial, a partir dos pareceres do controle duplo-cego por pares e da consolidação da avaliação pela equipe editorial, a equipe editorial poderá recomendar a citação de artigos anteriormente publicados na Revista de Defesa da Concorrência, somente se estes forem pertinentes e relacionados com a temática abordada no artigo em análise.

Os artigos científicos submetidos à Revista de Defesa da Concorrência (RDC) que contenham a citação artificial de artigos ou de autores com o objetivo de se manipular o fator de impacto em mecanismos de indexação poderão incorrer nas seguintes sanções:

  • Rejeição imediata do manuscrito.
  • Rejeição imediata de qualquer outro manuscrito submetido à Revista de Defesa da Concorrência por qualquer um dos autores do manuscrito.
  • Suspensão, pelo prazo de dois anos, de novas submissões por qualquer dos autores, ainda que em coautoria.