Dos Acordos de Leniência do CADE e da CGU Qual balcão é o mais atrativo?

Conteúdo do artigo principal

Gabriel Caser

Resumo

Este artigo busca responder a pergunta: Dentre os acordos de leniência da CGU e do CADE, qual seria o mais atrativo para os agentes que incorrem em ilícito e, consequentemente, resulta em maior efeito dissuasório, conforme os critérios (a) transparência do processo, (b) segurança jurídica; (c) sanções; e (d) enforcement ? Para responde-la, selecionamos os principais aspectos da Lei Antitruste, aplicada pelo CADE, e da Lei Anticorrupção, aplicada pela CGU, para serem comparados: (1) legislação, guias e diretrizes para um acordo de leniência; (2) finalidade das Leis; (3) alcance das Leis; (4) requisitos para o acordo; (5) benefícios dos acordos; (6) publicização; (7) descumprimento. Desse modo, a pergunta proposta pode ser simplificada em: “Qual balcão promove o maior efeito dissuasório?”, a qual ganha uma resposta parcial para cada aspecto analisado. Embora os acordos não sejam excludentes entre si, na conclusão apontamos que o acordo de leniência do CADE se sobressai.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
CASER, G. Dos Acordos de Leniência do CADE e da CGU: Qual balcão é o mais atrativo?. Revista de Defesa da Concorrência, Brasília, v. 8, n. 1, p. 207-236, 2020. Disponível em: https://revista.cade.gov.br/index.php/revistadedefesadaconcorrencia/article/view/435. Acesso em: 13 ago. 2022.
Seção
Revista de Defesa da Concorrência
Biografia do Autor

Gabriel Caser

Graduando de Direito na Universidade de São Paulo (USP)