Dos Acordos de Leniência do CADE e da CGU Qual balcão é o mais atrativo?

Conteúdo do artigo principal

Gabriel Caser

Resumo

Este artigo busca responder a pergunta: Dentre os acordos de leniência da CGU e do CADE, qual seria o mais atrativo para os agentes que incorrem em ilícito e, consequentemente, resulta em maior efeito dissuasório, conforme os critérios (a) transparência do processo, (b) segurança jurídica; (c) sanções; e (d) enforcement ? Para responde-la, selecionamos os principais aspectos da Lei Antitruste, aplicada pelo CADE, e da Lei Anticorrupção, aplicada pela CGU, para serem comparados: (1) legislação, guias e diretrizes para um acordo de leniência; (2) finalidade das Leis; (3) alcance das Leis; (4) requisitos para o acordo; (5) benefícios dos acordos; (6) publicização; (7) descumprimento. Desse modo, a pergunta proposta pode ser simplificada em: “Qual balcão promove o maior efeito dissuasório?”, a qual ganha uma resposta parcial para cada aspecto analisado. Embora os acordos não sejam excludentes entre si, na conclusão apontamos que o acordo de leniência do CADE se sobressai.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Seção
Revista de Defesa da Concorrência
Biografia do Autor

Gabriel Caser

Graduando de Direito na Universidade de São Paulo (USP)
Recebido 2019-03-01
Aceito 2020-06-03
Publicado 2020-06-17