A regulação financeira e os determinantes do desempenho e da concentração bancária no Brasil: uma análise econométrica para o período 2000-2017

Conteúdo do artigo principal

Débora Campos de Faria
Paulo Rogério Scarano
Pedro Raffy Vartanian

Resumo

O artigo tem como objetivo identificar o papel da regulação governamental para a rentabilidade e a estrutura de mercado das instituições financeiras. Para tanto, são estimados modelos de dados em painel, envolvendo todos os bancos que operaram com carteira comercial no período compreendido entre 2000 e 2017. Os resultados apontam que as variáveis diretamente relacionadas à regulação não são estatisticamente significativas para o desempenho bancário. Nesse contexto, revelam-se significativas para a rentabilidade bancária as variáveis relacionadas à concentração bancária e a eficiência das firmas do setor. Já em relação à estrutura de mercado, as variáveis relacionadas com a regulação, tais como a “participação do volume de crédito direcionado” e “as regulações relevantes”, com potencial para geração de barreiras à entrada, são estatisticamente significativas, impactando positivamente os níveis de concentração do setor. Os resultados encontrados sugerem ainda que, apesar de não afetar diretamente a rentabilidade do setor, a regulação interfere indiretamente nesse aspecto, ao contribuir para maior concentração do mercado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Seção
Revista de Defesa da Concorrência
Biografia do Autor

Débora Campos de Faria, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Mestra em Economia e Mercados pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Paulo Rogério Scarano, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Professor Doutor do Mestrado Profissional em Economia e Mercados da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Pedro Raffy Vartanian, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Professor Doutor do Mestrado Profissional em Economia e Mercados da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Recebido 2021-04-03
Aceito 2021-11-24
Publicado 2021-12-15